Cantina Social

Cantina Social

O Centro Comunitário da Quinta do Conde foi uma das primeiras instituições do nosso país a subscrever um protocolo de cooperação com o Instituto de Segurança Social com vista à criação de uma cantina social. A assinatura do documento realizou-se dia 18 de abril, na presença do Ministro da Solidariedade e Segurança Social que de imediato o ratificou. A parceria estabelecida insere-se no Programa de Emergência Alimentar (PEA) cuja estratégia visa proporcionar o acesso a refeições diárias gratuitas às famílias que mais necessitam com base na criação de uma rede solidária de cantinas sociais onde os mais necessitados podem obter refeições sem que seja revelada a sua identidade.

As cantinas sociais deverão ter capacidade de fornecer 50 a 80 refeições diárias, considerando o almoço e o jantar, sendo dada preferência ao consumo no domicílio (o utente desloca-se à cantina e leva a refeição para casa), embora esteja em aberto o consumo em meio institucional. Condição é que as refeições sejam sempre cozinhadas pelas instituições. No caso concreto do Centro Comunitário da Quinta do Conde o acordo prevê o fornecimento de 65 refeições diárias.

Os critérios para a distribuição das cantinas sociais por concelho têm em conta a população residente e desta a que vive em privação material; população residente maior de 65 anos ou em risco de pobreza; população residente até aos 14 anos; o índice de risco de pobreza dos maiores de 65 anos, desempregados e menores de 14 anos; desemprego registado e a população desempregada inscrita no IEFP em risco de pobreza.

Pretende-se maximizar os recursos existentes, privilegiando uma lógica de proximidade, e intervir nas situações mais vulneráveis, garantindo o acesso a refeições diárias gratuitas às famílias que mais necessitam, mas sem construir novos espaços edificados para o efeito nem onerar as instituições com aumento de recursos humanos.