Concerto de Natal

Concerto de Natal

Iniciativa valorizou reunião de esforços para enfrentar adversidades.

Um espetáculo, alicerçado exclusivamente na atuação dos diversos grupos musicais existentes na freguesia, constituiu o cartaz do 3º Concerto de Natal, realizado nas instalações do Grupo Desportivo e Cultural do Conde 2, por iniciativa Junta de Freguesia, em parceria com a Câmara Municipal de Sesimbra e o movimento associativo da nossa terra.

Preenchido predominantemente por temas alusivos à época de Natal, o evento, efetuado na tarde de 8 de Dezembro, suscitou, igualmente, o interesse de uma numerosa plateia que assistiu à atuação dos grupos corais da Igreja de Nossa Senhora da Esperança; Clube de Música da Escola Básica Integrada; Vox Cantatis (A.M.C. Conde 1); Supratis – Grupo de Flautas Barrocas (A.M.C. Conde 1); Grupo Musical “Renascer” (Centro Comunitário); Grupo Coral A Voz do Alentejo (C.C.R.S. Voz do Alentejo); Arco Iris e Grupo Musical ECOS, ambos afetos à coletividade anfitriã.

Ao longo de toda a tarde os espectadores puderam ouvir temas de cariz religioso e do cancioneiro popular alusivos à quadra festiva que atravessamos, a par de algumas canções medievais, tornando-se, por isso, a atuação dos diferentes agrupamentos, um diversificado percurso musical pelo repertório que caracteriza esta época do ano.

No decurso do aludido espetáculo, Vítor Antunes, presidente da Junta de Freguesia, realçou a circunstância desta iniciativa se assumir como mais uma forma de afirmação das características identitárias da localidade, que a diferenciam dos outros aglomerados populacionais, referindo ainda “vislumbrar no movimento associativo o primeiro patamar do Poder Local”. Por isso, segundo o autarca de freguesia, “ não obstante a adversidade dos tempos, consequência de políticas erradas, castradoras e desumanas, assentes no eufemismo ‘austeridade’, a Quinta do Conde resiste e vence!”, dando como exemplo várias conquistas, quer no domínio social, quer em muitos outros domínios da vida coletiva e no envolvimento da comunidade na escolha e concretização de múltiplas ações, visando a melhoria da qualidade de viva de quem nela reside.

Na ocasião, também, Felícia Costa, vice-presidente da autarquia sesimbrense, expressou “a importância de valorizar o esforço de todos quantos no movimento associativo trabalham para ajudar a minimizar os efeitos desta crise que se abateu sobre os portugueses “, confessando ser “com muita satisfação que o município luta ao lado da Junta de Freguesia, na qualificação da localidade”. Neste contexto, para a edil, “não é possível baixar os braços e deixarmos de pugnar por aquilo que consideramos ser justo, apenas porque a Troika diz que tem de ser,“ razão pela qual a responsável camarária, lembrou que “o que a Quinta do Conde é hoje, deve-se ao trabalho de todos que aqui se radicaram, apesar das adversidades com que se confrontaram”, logo, concluindo: “ o Natal é mais do que um nascimento, é, também, um tempo de combate solidário pela esperança e por melhores condições de vida”.