Árvores e Outras Urbanidades

Árvores e Outras Urbanidades

A importância da árvore em contexto urbano e as suas diversas funções no espaço público, constituiu o tema central de uma mesa redonda, promovida pela Junta de Freguesia da Quinta do Conde, com o objectivo de assinalar o Dia Mundial do Ambiente, na qual participaram Marisa Ramalho (arquitecta), José Rodrigues (engenheiro) e o urbanista Domingos Vaz.

Sob o lema “Árvores e Outras Urbanidades”, o evento permitiu a análise de alguns dos problemas decorrentes da localidade ter sido urbanizada numa zona de pinhal, sem um plano urbanístico que regulasse devidamente esse processo, a par dos riscos daí resultantes, associados aos inconvenientes dessa co-habitação.

A necessária compatibilização dos processos urbanísticos com as questões ambientais, revelaram-se, igualmente, aspectos determinantes na opinião dos técnicos que animaram o debate, os quais defenderam a promoção da floresta nacional e a necessidade de fomentar a plantação de espécies autóctones, em particular, as que mais se ajustam a esta zona do território nacional e ao seu microclima, concorrendo, por essa via, para a sustentabilidade ambiental da região.

Entre elas, figura a substituição do pinheiro bravo por outras espécies, como o carvalho, pinheiro manso, sobreiro, alfarrobeira e o medronheiro, entre outras, com vantagens muito superiores em matéria de segurança e na redução de riscos para a saúde pública, devido às pragas que lhe estão associadas.

De acordo com Vítor Antunes, Presidente da Junta de Freguesia, a realização da referida iniciativa, “prende-se com as preocupações manifestadas ao longo do mandato pelos habitantes da localidade, razão pela qual decidimos convidar alguns técnicos ligados a essas áreas para nos ajudarem a reflectir sobre esta temática”.