Festival do Caracol encerrou um mês de festas populares

Festival do Caracol encerrou um mês de festas populares

A entrega de prémios do Festival do Caracol encerrou um mês de intensa actividade social, recreativa e cultural na Quinta do Conde, iniciado com a realização de mais uma edição da Feira-Festa e prosseguida com os tradicionais festejos dos santos populares programados para esta época do ano.

As festividades promovidas no quadro de uma parceira entre a Junta de Freguesia e as forças vivas da localidade, constituiu mais uma demonstração da vitalidade do movimento associativo local e da inequívoca capacidade de conjugação de esforços e saberes em torno da valorização dos laços identitários da comunidade quintacondenses.

Ante uma plateia que lotava o espaço envolvente à Junta de Freguesia, local onde nos últimos o referido festival tem tido lugar, Vítor Antunes, Presidente da autarquia, historiou o aparecimento da iniciativa e o seu processo de afirmação, enquanto acontecimento anual susceptível de mobilizar vontades e empenhos que o tornaram num evento de grande significado para as colectividades da freguesia.

De acordo com o autarca, o modelo adoptado para esta realização, alicerça-se “nos princípios do provérbio chinês segundo o qual devemos dar a cana para pescar ao invés de darmos o peixe”, facto que leva a que a aludida iniciativa se assuma como “uma festa que auto-financia as associações participantes. Pelo menos, é essa a realidade que o rigor dos números no-lo revela.”

Para Vítor Antunes, neste caso, “quem aqui semeia colhe”, razão pela qual sustentou, “ esta é a festa que idealizámos. Logo, estamos nela e com ela, porque queremos, porque gostamos e porque nos sentimos bem “ e porque concorre para que- como temos vindo a fazer- todos juntos possamos construir uma identidade. A nossa Identidade.”

Presente na cerimónia, Augusto Pólvora, Presidente da Câmara Municipal de Sesimbra, entidade que desde a primeira hora apoia o certame, saudou as agremiações participantes neste acontecimento anual, considerando-o um bom exemplo do trabalho colectivo visando a angariação de fundos para manter o funcionamento regular de muitas das actividades que as colectividades da freguesia desenvolvem.

Segundo o líder camarário, “trata-se de uma manifestação de cidadania forte e activa, protagonizada pelos dirigentes das colectividades sediadas numa localidade que teve uma génese ilegal, mas que a par da concretização do sonho de terem uma casa e não viverem num ‘caixote’   souberam ainda, ao longo dos anos, construir uma comunidade empenhada na elevação deste espaço territorial.

Premiados:

1º Francesinha de Caracoleta  –  Concorrente: Grupo Recreativo Escola de Samba Corvo de Prata

2º Quiche de Caracol  – Concorrente: Pica no Chão

3º Caracóis à Havaiana – Concorrente: Grupo Sócio-caritativo Encontra a Esperança

Restantes participantes no concurso:

Grupo Folclórico e Humanitário do Concelho de Sesimbra

MGBOOS Associação de Desenvolvimento da Quinta do Conde

Centro Comunitário da Quinta do Conde

Grupo Desportivo e Cultural do Casal do Sapo

União Desportiva e Recreativa da Quinta do Conde

Grupo Recreativo Escola de Samba Batuque do Conde

Núcleo Sportinguista da Quinta do Conde

Casa do Benfica na Quinta do Conde