Homenagem a Álvaro Cunhal

Homenagem a Álvaro Cunhal

No próximo dia 10 de novembro, perfazem-se 100 anos sobre o nascimento de Álvaro Cunhal.

Assinalar este centenário é um imperativo moral e o reconhecimento dos democratas e patriotas, dos operários, dos trabalhadores, dos jovens, dos intelectuais, dos homens e mulheres da ciência, da arte, da cultura, do povo português, àquele que foi um dos mais consequentes lutadores pela liberdade e pela democracia, que se destacou também nos campos das artes e da escrita.

A Junta de Freguesia da Quinta do Conde assinala a efeméride com a inauguração de um mural, na Rua António José de Almeida, junto à Escola Básica Integrada, em espaço requalificado sob a orientação do urbanista Domingos Vaz.

A inauguração da obra escultórica, concebida e executada pelo escultor Hugo Maciel, está marcada para as 11 horas de domingo, do dia 10 de novembro.

No âmbito da vigência do protocolo de colaboração estabelecido entre a Junta de Freguesia e o escultor Hugo Maciel, este concebeu um projeto que inclui um mural com a efígie de Álvaro Cunhal, para colocar em espaço público conforme proposta que se anexa.

 Memória descritiva

No ano em que se assinala o Centenário do Nascimento de Álvaro Cunhal preserva-se a sua memória e homenageia-se esta figura incontornável, política na comunidade portuguesa, com a implantação de um mural em baixo relevo com a sua efígie e alguns traços simbólicos da sua personalidade.

Personalidade que se destacou na luta pela liberdade, a democracia, o socialismo, o comunismo e pela sua inquestionável determinação para a conceção, construção e consolidação do Partido Comunista Português, Álvaro Cunhal implementou ao longo da sua vida, princípios de forte impacto politico e ideológico que continuam a revelar-se de grande atualidade, tornando esta homenagem uma consolidação da sua intemporalidade intelectual.

Álvaro Cunhal uniu a sua intervenção revolucionária política ao plano social, na defesa e emancipação dos trabalhadores e dos povos e o estímulo à ação coletiva, como interligou os seus princípios ideológicos ao seu apaixonado interesse pela criação artística, expressos nas suas obras literárias, desenhos e pinturas que espelhavam uma empenhada reflexão teórica entre política, arte e sociedade.

Mantendo uma intervenção política, social, cultural e artística na afirmação do projeto comunista em Portugal e no Mundo, foi um homem que não baixara os braços ao longo da sua vida e é esta representação que se perpétua na sua efígie com uma expressão decidida e gentil, de um homem intimamente integrado na sociedade, para escutar e apoiar, que unia populações traduzidas na multidão, referenciando sempre a Partido Comunista Português como projeto de vida.

Assim, esta homenagem remete-se para Álvaro Cunhal, como homem, politico, intelectual que nos deixa “um legado de vida, pensamento e luta, que se projeta na atualidade e no futuro, ao serviço dos trabalhadores, do povo e da pátria, pela democracia, o socialismo e o comunismo.”

Especificações técnicas

Materiais

Poliuretano compacto patinado (relevo)

Aço inox (placa)

Dimensões

100x70x3 cm (relevo)

106×80 cm (chapa)

200x120x20 cm (murete)

Descrição

– Relevo em poliuretano compacto com panita verde/preto e envernizamento matte

– Fixação de relevo por aparafusamento à chapa

– Chapa de aço inox com gravação a negro

– Chapa fixa ao murete por aparafusamento e colagem com araldite/bucha química

– Murete em cimento sem pintura