Concerto de Ano Novo mostrou talentos da freguesia

Concerto de Ano Novo mostrou talentos da freguesia

Dança, música e alegria, marcaram mais uma edição do Concerto de Ano Novo realizado na tarde de 4 de Janeiro nas instalações do Grupos Desportivo e Cultural do Casal do Sapo, uma iniciativa anual da Junta de Freguesia tendente a celebrar a entrada do novo ano e a proporcionar a exibição de alguns dos muitos talentos artísticos existentes na localidade.

O programa, constituído, quase exclusivamente, por grupos musicais e classes de dança afectos a colectividades da Quinta do Conde, caracterizou-se por uma tarde de animação que fez esquecer por algumas horas as agruras provocadas pelo frio, vento e chuva que se fizeram sentir, um pouco por todo o país, em especial, durante a madrugada e manhã.

Para tanto, muito contribuíram as prestações protagonizadas pelas classes de Boom Dance e Zumba da agremiação anfitriã; a Banda do Clube de Música da Escola Básica Integrada; o Grupo de Cordofones da Quinta do Conde e as atuações do Vox Cantatis, agrupamento coral que escolheu do seu reportório duas peças do século XVII e dois temas de Natal para presentear a assistência; do Grupo Musical Renascer, pertencente ao Centro Comunitário da Quinta do Conde; do Grupo Ventos e Marés, proveniente de Corroios, a par do Grupo Coral Voz do Alentejo, afecto ao Centro Cultural, Social e Recreativo a Voz do Alentejo e do Grupo Musical ECOS, do Grupo Desportivo e Cultural do Conde 2.

No decurso do espectáculo, Vítor Antunes, presidente da autarquia quintacondense, aludiu ao facto do evento ter ocorrido nesta zona da freguesia, referindo que tal decorre da vontade de ver evolução neste território e do sentimento de solidariedade reservado aos seus habitantes.

Sem deixar de lembrar algumas das mais relevantes reivindicações da freguesia, com particular destaque para a exigência de uma escola secundária e para a construção do lar de idosos, reclamado pelo Centro Comunitário, o autarca considerou que o argumento de que não há dinheiro para tais equipamentos constitui uma falácia, aliás desmentida com os valores das rendas e juros de capital, inscritos no Orçamento de Estado.

“São opções”, afirmou, “neste caso a opção foi no sentido de financiar a especulação bancária e o benefício de alguns e pelo empobrecimento da generalidade do povo, suportada numa permanente campanha de intoxicação sustentada na inevitabilidade, no fatalismo e na resignação e aceitação de ruinosas medidas a troco da confiança dos mercados.”

Apesar disso e do cenário que com que todos nos confrontamos, o autarca garantiu que “podem contar com a sua Junta de Freguesia em 2014, pois, será um ano de trabalho para os quintacondenses, sejam eles dirigentes associativos, pequenos empresários, membros da comunidade educativa ou cidadãos comuns”.

Presente igualmente no evento, Odete Graça, Presidente da Assembleia Municipal de Sesimbra, congratulou-se com realização da aludida iniciativa expressando os seus agradecimentos por ter a possibilidade de partilhar este momento de festa, mau grado as sombrias notícias que ouvimos no final de 2013.

Para a líder da Assembleia Municipal, “tal não nos demove de lutar pelo que acreditamos e, sobretudo, pelo futuro dos jovens. Logo, no ano em que celebramos o 40º aniversário da Revolução de Abril não podemos esquecer os ideais pelos quais lutaram as gerações que nos antecederam, criando um futuro mais feliz em Portugal e designadamente na Quinta do Conde.”