Assinatura de protocolos marcou início da Universidade Sénior

Assinatura de protocolos marcou início da Universidade Sénior

A cerimónia de assinatura de protocolos de colaboração entre as sete entidades que integram o projecto de criação de uma Universidade Sénior na Quinta do Conde, marcou a entrada em funcionamento deste novo espaço de aquisição de conhecimentos na freguesia.

O acto, realizado a 16 de Abril, nas instalações do Centro de Inovação e Participação Associativa, CIPA, constituiu o arranque formal desta iniciativa resultante de uma parceria estabelecida para o efeito entre a Junta de Freguesia; Câmara Municipal de Sesimbra; os três agrupamentos de escolas da localidade, o Centro Comunitário e o Centro Cultural Voz do Alentejo.

Com o início das aulas agendado para 21 de Abril, a referida Universidade Sénior, encontra-se aberta a cidadãos com idade superior a cinquenta anos, oferecendo no período experimental que decorrerá até Junho, um conjunto de catorze disciplinas que se estende da cidadania à saúde; da informática à história; da dança à aprendizagem de línguas estrangeiras.

No decurso da aludida cerimónia, Eduardo Cruz, Director do Agrupamento de Escolas Michel Giacometti, considerou que “o arranque de uma Universidade Sénior nesta zona do concelho, permite colmatar uma lacuna que se fazia sentir na área da freguesia em matéria de aquisição de conhecimentos”.

Opinião semelhante expressou Helena Cordeiro, Presidente da Direcção do Centro Comunitário da Quinta do Conde, ao sublinhar “a importância de que este projecto se reveste para a população sénior da localidade e da possibilidade de que, por seu intermédio, dispomos (enquanto parceiros da iniciativa) de alargar a nossa intervenção a um maior espaço de partilha e apoios”.

Destacando o papel de todas as entidades que se associaram a este processo, mas destacando, de forma particular, a participação dos professores que a ele já aderiram, Vítor Antunes, Presidente da Junta de Freguesia relembrou que “apesar de só agora ter sido possível concretizar a criação deste pólo de partilha de conhecimentos e ocupação de tempos livres vocacionada para os seniores da localidade, trata-se de uma ideia que remonta a 2010.”.
Por essa razão, argumentou o autarca quintacondense, “não compreendemos o insulto baixo a que alguns desceram, logo que souberam da concretização eminente deste pólo”, esclarecendo, igualmente, que a autarquia e as demais entidades que nele tomam parte “embora reconheçam e combatam, a seu modo, o flagelo social do desemprego, não encaram esta iniciativa como um meio de empregabilidade” reiterando, por isso, a convicção de que haverá certamente espaço para o eventual aparecimento de outros projectos semelhantes na localidade.

Encerrando a citada cerimónia, Felícia Costa, Vice-presidente da Câmara Municipal de Sesimbra sustentou que a ocasião “constitui um momento de celebração da chamada ‘idade maior’ e da grande vontade que evidenciam na aquisição de conhecimentos e valorização pessoal”.

De acordo ainda com a vereadora titular do pelouro da cultura e educação no município sesimbrense, “aprender tem que assentar na vontade que cada um tem, pelo que este é um momento de grande simbologia, pois constitui um modo de proporcionar às pessoas que deixaram a denominada vida activa, um espaço que visa sublinhar que não deixaram de ser úteis e importantes, dado assumir-se como um espaço de cidadania e participação cívica, no quadro de uma comunidade solidária, fraterna e generosa”.

USQC