Universidade Sénior conclui mais um ano letivo

Universidade Sénior conclui mais um ano letivo

Teatro, poesia, canto e a apresentação de trabalhos efetuados no âmbito de várias disciplinas, marcaram o convívio de encerramento de mais um ano letivo da Universidade Sénior – Sonho Não tem Idade- projeto em curso na Quinta do Conde, dinamizado na Junta de Freguesia.

A iniciativa, protagonizada por alunos, professores e funcionários da autarquia, incluiu ainda a projeção de um vídeo documental acerca das várias atividades que mantêm em funcionamento, um lanche partilhado e um espaço para os adeptos da dança expressarem as suas qualidades.

No decurso do referido convívio, tendente a assinalar o final do terceiro período letivo João Valente, presidente do Centro Comunitário da Quinta do Conde, instituição que integra o conjunto de entidades parceiras do citado projeto, felicitou os alunos pelo trabalho efectuado, afirmando que “ante a diversidade evidenciada ao longo de mais este ano de trabalho, o sonho não tem idade, constitui uma clara mais-valia para a comunidade.”

No mesmo sentido se expressou Alexandra Amaral, representante do órgão directivo do Agrupamento de Escolas da Boa Água, classificando a participação do aludido agrupamento nesta iniciativa de ensino informal, um enorme privilégio.

Vítor Antunes, presidente da Junta de Freguesia, congratulou-se com mais um ano de funcionamento deste projeto e, em jeito de resenha histórica, afirmou que “o projeto confrontou-se inicialmente com alguns contratempos, que atrasaram o seu arranque, em consequência da falta de libertação das antigas instalações do centro de saúde, por inoperância do despectivo Ministério. Situação que ainda hoje se mantém.”

Relembrando igualmente o processo que conduzia a instalar a mencionada universidade no edifício da Junta de Freguesia, o autarca quintacondense salientou ainda que com “este encontro de final de ano letivo, se encerra, de algum modo, também um ciclo de atividade autárquica”, pelo que sugeriu a quantos frequentam este projecto que “cuidem de saber junto de cada candidato à liderança da autarquia, o que se propõem fazer em matéria de funcionamento da universidade.”

De acordo ainda com Vítor Antunes, “sem embargo de termos respeito pelo que cada um pensa, temos de deixar muito claro que o que fazemos é pela Quinta do Conde e com o intuito de a valorizar, ao invés de muitos que se movem, fundamentalmente pelo instinto destrutivo.”