Universidade Sénior: Elevada adesão marca novo ano lectivo

Universidade Sénior: Elevada adesão marca novo ano lectivo

Elevada adesão marca o segundo ano de funcionamento da Universidade Sénior O Sonho Não Tem Idade”, ultrapassando as expectativas das várias entidades envolvidas neste projecto de partilha de conhecimentos, experiências e saberes.

Sediada agora na Junta de Freguesia, em resultado da deslocação do pólo da Biblioteca Municipal de Sesimbra para outro espaço disponível na localidade, a iniciativa, dinamizada pela autarquia quintacondense de parceria com o município e diversas entidades ligadas ao ensino e instituições associativas locais, possui cerca de duas centenas e meia de alunos, repartidos por duas dezenas de disciplinas.

No acto inaugural do novo lectivo, Vítor Antunes, presidente da referida Junta de Freguesia, congratulou-se com o entusiasmo registado em torno desta experiência, sublinhando o entusiasmo gerado em torno do segundo ano de actividade deste projecto, traduzido no expressivo número de adesões registadas e na disponibilidade dos professores, situação que permite acolher a generalidade dos cidadãos inscritos.
Por esse motivo, salientou a importância de que “sejam cumpridas as regras de funcionamento das actividades lectivas, em ordem a pudermos responder às expectativas de todos, evitando, assim, o preenchimento de uma vaga por alguém que falte recorrentemente, impedindo, desse modo, que outro a ocupasse.”

De acordo ainda com o autarca, “a transferência da Universidade Sénior para um espaço mais central da Vila, permite, igualmente, um melhor acesso e outro grau de condições a quantos a frequentam, sem prejudicar a normal actividade da Biblioteca, a qual será a breve trecho, objecto de beneficiação. Logo, com esta medida, todos ficámos a ganhar.“

Para Eduardo Cruz, diretor do Agrupamento de Escolas Michel Giacometti, “o crescimento do número de disciplinas, de alunos e a melhoria das condições de funcionamento observado neste segundo ano de actividade da Universidade Sénior, demonstra que estamos perante uma organização que não só cresceu, como está a ser capaz de dar resposta às necessidades da população de uma forma mais digna e com todos os professores, o que não se verifica em muitos estabelecimentos oficiais de ensino”.

Opinião semelhante expressaram João Favinha, dirigente do Centro Cultural Voz do Alentejo; Clara Rosa, diretora do Agrupamento de Escolas da Quinta do Conde e Helena Cordeiro, presidente do Centro Comunitário, os quais reiteraram a disponibilidade das suas instituições para ajudar este projecto a crescer, dado “tratar-se de uma experiência que muito valoriza a comunidade.”

No entender de Felícia Costa, vice-presidente da Câmara Municipal de Sesimbra, “a iniciativa constitui algo muito importante, porque, a seu ver, o sonho não tem idade, sendo que, neste caso, estamos diante de um sonho protagonizado por homens e mulheres que aspiram a juntar, através do convívio e da aprendizagem, mais conhecimento ao conhecimento que têm da vida.”

Segundo ainda a edil, “a experiência acumulada que este desafio nos propõe, é uma forma de nos elevar enquanto comunidade, permitindo-nos combater a infelicidade que assombra a vida de muitas famílias devido ao flagelo do desemprego e ao abandono do país por parte dos jovens, ante a ausência de perspectivas de futuro.”

Por isso, afirmou a responsável camarária, “é muito bom que estejamos aqui a reabrir esta academia da vida, contribuindo, desta forma, para que a nossa terra e a nossa freguesia sejam cada vez melhores, ao invés de ficarmos em casa à espera que a velhice nos submeta aos seus inexoráveis desígnios.”