Delmar Gonçalves na Universidade Sénior

Delmar Gonçalves na Universidade Sénior

A Universidade Sénior da Quinta do Conde – “O Sonho Não Tem Idade”, recebeu no dia 15 de dezembro o escritor Delmar Maia Gonçalves, Presidente do Círculo de Escritores Moçambicanos na Diáspora, no âmbito das atividades extracurriculares desta Universidade. O escritor, nascido a 5 de julho de 1969 e autor de Moçambique Novo, o Enigma; Moçambiquizando; Afrozambeziando Ninfas e Deusas; Mestiço de Corpo Inteiro e Entre dois rios com margens, falou da atividade realizada pela organização que preside, cujo objetivo principal é o de aprofundar os laços entre os escritores de língua oficial portuguesa.

À semelhança do que aconteceu em outubro, com a presença do escritor Ascêncio de Freitas, esta iniciativa visou a sensibilização dos alunos para a escrita, pretendendo também dar a conhecer a vida e a obra de mais um divulgador da língua portuguesa.

Delmar Gonçalves começou por salientar a importância de instituições como a Universidade Sénior na valorização do percurso de vida das pessoas que se tratam, segundo o próprio, de resistentes que vão em busca daquilo que lhes foi negado no passado”. Referindo que, no que concerne à escrita, nunca é tarde para começar, aproveitou para lançar um desafio aos alunos: a produção e publicação em parceria de uma coletânea de textos escritos pelos próprios. O desafio foi acolhido com agrado pelos alunos e pelo Presidente Vítor Antunes, ficando definido que deverá ser concretizado até ao final do ano letivo.

O escritor descreveu algumas atividades levadas a cabo pelo Círculo de Escritores Moçambicanos na Diáspora, nomeadamente a publicação de antologias e coletâneas de escritores de língua portuguesa, aludindo ao papel desta associação na promoção de encontros entre os mesmos, um intercâmbio que considera enriquecedor para todos e para a literatura em geral.

No final, o escritor, vencedor em 1987 do Prémio Nacional de Literatura Juvenil  Ferreira de Castro em Poesia, uma de entre muitas distinções posteriores, falou um pouco do seu percurso na área da escrita, salientando o papel dos poetas como “guerrilheiros da verdade”, no ativismo social e na luta contra as injustiças.