Mensagem de Natal e Ano Novo – Determinados e confiantes

Mensagem de Natal e Ano Novo – Determinados e confiantes

No final de um ano em que o país e a maioria dos portugueses ficou mais pobre, um ano que confirmou as piores expetativas, resultantes das medidas concebidas e impostas por quem obcecadamente insiste em governar contra as pessoas e contra as famílias, valha-nos a esperança de ver este ciclo terminado, com as eleições que se aproximam.

Ficámos pior no domínio da Justiça, porque ela está, desde setembro, mais distante geograficamente, demora mais tempo a ser aplicada e está economicamente mais dispendiosa.
Ficámos pior no capítulo da Educação porque há mais alunos do “secundário” obrigados a sair da freguesia para aceder ao ensino que é obrigatório; sofremos as consequências da não colocação atempada de professores; continuamos sem resposta a problemas estruturais de instalações e recursos humanos.

Ficámos pior no setor da Saúde porque as taxas moderadoras estão incomportáveis, o hospital de referência está mais lotado, o acesso às especialidades está mais difícil.
Ficámos pior quanto ao Trabalho e Segurança Social, porque há menos empregos, há mais desempregados sem subsídio, estamos mais fragilizados e parece que só a emigração é solução.

A oportunidade de alterar tão adverso quadro, para o país e para as pessoas, assenta na realização de eleições e na assunção das responsabilidades que cabem a cada cidadão eleitor, mecanismo através do qual é possível encontrar a solução que permita mudar substancialmente o rumo que nos tem sido imposto.

Torna-se imperiosa a adoção de políticas que valorizem a dignidade humana, a solidariedade, a fraternidade e a justiça social; que cumpram os preceitos constitucionais, honrem o espírito de Abril e respeitem regras no trabalho; que dignifiquem os portugueses e prezem a soberania nacional.

Em nossa opinião, isso é possível, já no próximo ano, se acreditarmos na nossa força. No caso da Quinta do Conde, cremos que a população e as forças vivas da localidade denotam essa capacidade de acreditar, afirmando-se empenhadas na concretização desses objetivos. Trata-se de um sentimento assente no conhecimento que temos das pessoas, das famílias e das instituições da nossa Freguesia.

Com a determinação que nos é reconhecida, desejamos e trabalhamos para que todos os quintacondenses vivam as Festas de Natal tão felizes quanto possível e que o novo ano de 2015 contribua para concretizar os anseios pessoais e coletivos da nossa comunidade.

Vítor Antunes