“Alforge de heranças” apresenta-se dia 27 na Junta

“Alforge de heranças” apresenta-se dia 27 na Junta

“Alforge de heranças”, original vencedor do Prémio de Poesia e Ficção de Almada 2014, da autoria de Fernando Fitas, será apresentado dia 27 de Março, pelas 21h00 no salão da Junta de Freguesia da Quinta do Conde.

A obra, ilustrada por António Jeromito e prefaciada por José do Carmo Francisco, tem como pano de fundo as expectativas e sonhos de uma geração, que acreditou ser possível erguer um futuro que supúnhamos roçar a bainha dos dedos, à espera que o agarrássemos, mas que traiçoeiramente deixámos que se fosse afastando do nosso horizonte, por inaptidão ou ingenuidade.

Organizado em duas partes, o livro evoca na primeira parte a “construção da casa” como metáfora da construção de um país (um pouco à imagem do imaginário traçado por Virgilio em Eneida), dos sobressaltos e na fragilidade deste quotidiano com desafios e esperanças.
A segunda parte remete-nos para a imagética de um tempo em que os silêncios e os gestos fraternos se transformaram em gritos da revolta dos sonhos sufocados, ou se quisermos, um repositório de afectos, memórias, emoções, nostalgias e raivas, assentes na analogia pai-país, país-pai.

Breves notas sobre Fernando Fitas

Fernando Fitas, nasceu em Campo Maior, Alentejo, em 1957. Jornalista (actualmente desempregado), cidadão intranquilo por opção e poeta maltês por vocação, trabalhou em diversos jornais de âmbito nacional, dirigiu e chefiou vários periódicos regionais na Margem Sul do Tejo e colaborou em inúmeros outros, um pouco por todo o país, assim como em publicações culturais, entre elas, na Revista Literária Elipse (Galiza).
Distinguido com o Prémio Agostinho Neto (União de Sindicatos do Porto/CGPT), 1999; Prémio de Poesia Cidade de Moura, 1999/2000; Prémio Literário Raul de Carvalho (2003) e Prémio de Poesia e Ficção de Almada (2004 e 2014), figura igualmente em algumas antologias poéticas editadas nomeadamente em Portugal e Chile

Tem publicadas as seguintes obras:

POESIA:

Canto Amargo (1978 – esgotado)
Amor Maltês (1986 – esgotado)
Silêncio Vigiado (1992 – esgotado)
A Casa dos Afectos (2003 – esgotado)
O Ressoar das Águas (2004 – esgotado)
O Saciar das Aves, (2008)

PROSA:

Cantos de Baixo (novela, 1989 – esgotado)
Mar da Palha (Crónicas e reportagens, 1997 – esgotado)
Histórias Associativas – Memórias da Nossa Memória
(Primeiro volume: As Filarmónicas, 2001)
Recolha de histórias e vivências associativas
realizada junto de ex-dirigentes e destacados associados
das mais antigas colectividades do concelho do Seixal
Edição da Câmara Municipal do Seixal
Alma d’Escrita (reportagens, 2012)