Sons e ritmos minhotos marcaram abertura da 25ª edição da Feira Festa

Sons e ritmos minhotos marcaram abertura da 25ª edição da Feira Festa
Sons e acordes provenientes da região do Minho, trouxeram animação e ritmo ao primeiro dia da 25ª edição da Feira Festa, acontecimento que marca o calendário anual da Quinta do Conde nesta época do ano.

Antecedendo o espectáculo inaugural, Afonso Esteves, presidente da organização promotora do evento, agradeceu o apoio que lhe é concedido pela Câmara Municipal de Sesimbra, pela Junta de Freguesia da localidade e pelo comércio local, o qual tem permitido levar a efeito, ao longo de um quarto de século, tão ambiciosa iniciativa.

No decurso da cerimónia de abertura, Vítor Antunes, presidente da Junta de Freguesia realçou alguns aspectos que fazem deste evento “um exemplo do papel determinante que o movimento associativo assumiu e assume no processo de edificação da Quinta do Conde e da criação da sua identidade”.

Salientando, a propósito, a recente homenagem feita pela autarquia ao movimento associativo da freguesia, expressa na colocação de um monumento numa das artérias da Vila, Vítor Antunes, considerou que tal tributo, a par de visar a criação de referências tendentes a proporcionar a apropriação do espaço público por parte dos cidadãos, visa sobretudo sublinhar o espírito de parceria estabelecido entre os diferentes agentes que operam no tecido social da freguesia, atribuindo à Feira Festa o estatuto de um dos exemplos mais esclarecedores, nesse domínio.

Sem deixar de recordar que a Quinta do Conde é a localidade em Portugal menos recebe do orçamento de estado por habitante, o autarca afirmou tratar-se de uma “opção governativa que nos penaliza, “mas que não impede os habitantes e as suas organizações representativas de continuarem a lutar contra as injustiças, destacando nesse capítulo a exigência de uma escola secundária na localidade.

“Em Outubro, mal a Assembleia da República tome posse, lá estaremos com nossa petição a exigir a sua construção”, informou, adiantando igualmente que tal insistência decorre de “sentirmos que temos a razão do nosso lado. Por isso a nossa insistência, a nossa persistência nesta matéria”, pois, esclareceu ainda:  “disponibilizámo-nos para trabalhar pela Quinta do Conde e é esse compromisso que estamos a concretizar.”

Encerrando a aludida cerimónia, Augusto Pólvora, Presidente da Câmara Municipal de Sesimbra, saudou os habitantes e todos quantos ao longo destes 25 anos, têm realizado este importante evento festivo, sustentando que “o movimento associativo constitui uma fonte de afirmação dos laços de amizade entre todos quantos aqui se radicaram e que fizeram desta terra não apenas a mais populosa freguesia do Concelho, mas também uma das mais promissoras da região, apesar das carências que se observam nas áreas da saúde e educação”.

Para o edil sesimbrense, “a autarquia não deixará de envidar esforços no sentido de que essas lacunas sejam superadas, do mesmo modo que tudo fará para concretizar as infra-estruturas que ainda se fazem sentir ao nível de equipamentos culturais e de apoio à juventude.”