Convívio marca fim do 1º período letivo da Universidade Sénior – O Sonho Não Tem Idade

Convívio marca fim do 1º período letivo da Universidade Sénior – O Sonho Não Tem Idade

Poesia, música e a apresentação de um livro com texto de alunos e professores, marcaram a festa de encerramento do primeiro período letivo da Universidade Sénior – O sonho não Tem Idade, da Quinta do Conde.

A iniciativa realizada nas instalações da Junta de Freguesia (entidade coordenadora do projecto), na tarde de 19 de Dezembro, caracterizou-se ainda pela empenhada participação dos alunos na leitura de poemas e a animada actuação da tuna da referida instituição, que interpretou vários temas do cancioneiro popular.

No decurso do encontro, Vítor Antunes, presidente da autarquia quintacondense, expressou a sua satisfação pela forma como a Universidade Sénior se tem afirmado no seio da comunidade local, em particular nos escalões etários a que se destina, confirmando assim as expectativas que motivaram a sua criação.

“Um dos principais objectivos da criação deste projecto, visava proporcionar momentos de felicidade aos habitantes da freguesia, através da aquisição e fruição de saberes e conhecimentos, o que, constatamos com agrado, tem sido concretizado”, salientou.

Expressando votos de boas festas a todos os intervenientes no aludido convívio e aos parceiros que nele tomam parte, Vítor Antunes, manifestou o desejo de que “a quadra natalícia seja fruída o melhor possível”, salientando que “o novo ano confirme as expectativas de um cenário diferente daquele com que os portugueses se confrontaram em anos anteriores”.

Para Felícia Costa, vice-presidente da Câmara Municipal de Sesimbra, “o dinamismo que caracteriza a Universidade Sénior da Quinta do Conde, justifica plenamente o esforço desenvolvido pelas diferentes entidades que lhe deram corpo – algumas vezes contra ventos e marés -, ante a circunstância de se tratar de um projecto cuja matriz se centra na satisfação de homens e mulheres que, tendo atingido a idade em que se encontram libertos de ocupações profissionais, se afirmam, contudo, disposto e interessados em aprender alguma coisa que preencha os seus anseios, logo a permanecer activos”.

Encerrando o referido convívio, teve lugar a apresentação da obra “Mares Fraternos”, editada pelo Circulo de Escritores Moçambicanos na Diáspora, em parceria com a Junta de Freguesia quintacondense, no âmbito da cooperação estabelecida entre as duas entidades.

Na opinião de Delmar Gonçalves, presidente da citada associação cultural, “o mencionado volume reúne textos e poemas muito interessantes de vários alunos e professores da universidade sénior da Quinta do Conde e alicerça-se na força da língua que nos une”