Convívio e apresentação de livro encerram ano letivo na Universidade de Sénior

Convívio e apresentação de livro encerram ano letivo na Universidade de Sénior

Um convívio entre alunos e professores e a apresentação do segundo volume de Mares Fraternos encerrou ano lectivo da Universidade Sénior – O sonho não tem idade -, entidade criada com o intuito de promover a ocupação dos tempos livros dos cidadãos da Quinta do Conde, que por via de terem atingido a idade maior, abandonaram a vida laboral.

Abrilhantado pela atuação da Tuna da referida instituição, que interpretou vários temas do cancioneiro popular que integram o seu repertório e pela apresentação de algumas das atividades desenvolvidas no âmbito de várias disciplinas, o encontro caraterizou-se ainda pela apresentação informal do segundo volume do livro, Mares Fraternos, o qual reúne, na sua maioria, trabalhos de alunos da aludida universidade.

No decurso do evento, Vítor Antunes, presidente da autarquia quintacondense expressou a sua satisfação pela concretização de mais um ano de funcionamento da citada entidade, resultante da reunião de vontades de vários parceiros locais, entre elas a Junta de Freguesia, Câmara Municipal de Sesimbra, Centro Comunitário da Quinta do Conde, Centro Cultural Social e Recreativo A Voz do Alentejo e Agrupamentos de Escolas.

De acordo com o autarca, “este projeto constitui uma prova de que é possível trabalhar em prol dos cidadãos, estabelecendo parcerias com instituições que operam em vários domínios do tecido social da freguesia, em ordem a proporcionar-lhes a possibilidade de informalmente juntar novos conhecimentos aos conhecimentos adquiridos ao longo das suas vidas”.

Por outro lado, enquanto Alexandra Amaral, em representação da direção do Agrupamento de Escolas da Boa-água, salientava a satisfação do citado agrupamento escolar em tomar parte neste projeto, Felícia Costa, Vice-presidente da Câmara Municipal de Sesimbra reafirmava a disposição da edilidade de continuar a conferir o seu apoio a este tipo de iniciativas.

“Trata-se de estimular a mobilização da gente bonita do concelho que tendo deixado a vida ativa, continua a manter vivo desejo de não abdicar de uma ocupação saudável o tempo de que passou a dispor “, referiu a edil sesimbrense.

No que se reporta à apresentação da citada obra, editada pelo Circulo de Escritores Moçambicanos da Diáspora, Delmar Gonçalves, presidente desta agremiação, considerou que “a inteligência dos poetas e escritores precisa de viver num mundo mais amplo do que esse a que as sociedades em que vivemos traçaram tão mesquinhos limites.”

USUSQUSQC