Corso Trapalhão atraiu muitos

Corso Trapalhão atraiu muitos

O Corso Trapalhão, iniciativa que constitui o ensaio geral das escolas de samba da Quinta do Conde para os desfiles de Carnaval de Sesimbra, trouxe às ruas da localidade, na tarde de 25 de Fevereiro, muitas pessoas, emprestando-lhe assim uma moldura humana muito estimulante para os que nele se exibiram.

Aberto por um grupo de motociclistas afetos ao Grupo Motard da localidade, alguns dos quais vestidos de freira, padre, palhaço, super-homem, gato, ou presidiário, o que desde logo, se assumiu como um fator de atração, despertando a curiosidade dos quintacondenses mais desatentos ou menos entusiastas das festividades que marcam esta época do ano.

Grandes protagonistas do evento, as escolas de samba Batuque do Quinta e Corvo de Prata, agremiações que no quadro da freguesia desenvolvem a sua regular actividade fomentando esta género de manifestação musical, souberam mais uma vez evidenciar as suas capacidades criativas, reafirmando os empenhos e desempenhos que as caraterizam.

Não surpreende assim, que enquanto o Grupo Recreativo Escola de Samba Batuque do Conde alicerçou o seu trabalho em trono do tema do chocolate, suas origens e países produtores de cacau, matéria-prima que está na génese do aludido produto, a sua congénere Corvo de Prata, trouxe o amor proibido, paixão vivida entre Marco António e Cleópatra e cujo desfecho é do conhecimento de quem se interessa por esses assuntos de caráter histórico.

Organizado pela Câmara Municipal de Sesimbra com o apoio da Junta de Freguesia quintacondense, a aludida iniciativa assume-se como o maior acontecimento festivo realizado na localidade na quadra carnavalesca.