Alunos de Sampaio ‘eleitos por um dia’ na Quinta do Conde

Alunos de Sampaio ‘eleitos por um dia’ na Quinta do Conde

Carolina Gomes, Hugo Neves e Ana Sofia Alves, alunos do 9º ano da Escola Secundária de Sampaio foram “eleitos por um dia” (26 de abril) na Junta de Freguesia da Quinta do Conde.

A iniciativa integrada na denominada Assembleia Municipal de Jovens, projecto desenvolvido pela Assembleia Municipal de Sesimbra com o intuito de proporcionar aos jovens que frequentam os estabelecimentos de ensino do concelho, um melhor conhecimento do funcionamento e atividade das autarquias sesimbrenses, permitiu aos três alunos viver “in Loco”, a realidade do quotidiano de um autarca de freguesia.

A actividade contemplou, por isso, o acompanhamento dos afazeres diários do presidente da autarquia; deslocações a diversos locais onde a sua intervenção se fez sentir visando a elevação da qualidade de vida da população; alguns dos principais projectos em curso na localidade e o contacto com os serviços administrativos da Junta, em ordem a saber que tipo de trabalho prestam à comunidade, a par de um sem número de informações que obtiveram ao longo desse dia.

“Quando saímos de casa não tínhamos a mínima ideia do que era o trabalho de um autarca de freguesia no seu dia-a-dia”, confessam. “Pensámos que seria apenas mexer em papéis e estar diante do computador a ler e a responder a mensagens, mas verificámos que é muitíssimo mais do que isso”, afirmam.

Aliás, referem ainda, “o conhecimento que ele tem de tudo o que se passa à sua volta, vai ao ponto não apenas de saber onde fica cada uma das ruas, mas também o nome de grande parte dos moradores, o que nos surpreendeu, dado tratar-se de um lugar habitado por tanta gente.”

Outro dos assuntos que concitou a sua atenção, dizem, “é a colocação de peças escultóricas na via pública, o que para além de constituir uma forma de atrair visitantes, embeleza a localidade e cria referências em matéria de localização a quem aqui se desloca, posto que o traçado de um significativo número de ruas, é muito semelhante, situação que, por vezes, nos dava a sensação de estarmos perdidos, sobretudo nas zonas onde não havia essas referências públicas”.

Para além desses aspectos, os jovens estudantes, consideram o projecto das hortas solidárias, “uma boa ideia“, por permitir às pessoas “uma ligação à natureza sem estarem longe de casa,” ao mesmo tempo que realçam a importância do Parque da Vila e a recente recuperação do Jardim do Pinheiro Manso.

De acordo igualmente com “os três jovens autarcas” das notas menos positivas que retiram da sua estada na Freguesia, salientam “a falta de manutenção de alguns imóveis, cujas fachadas”, sustentam, “poderiam ser usadas para a colocação de grafitis artísticos, tal como sucedeu em alguns bairros ou zonas históricas de Lisboa.”.

De igual modo, manifestam a sua incredulidade pela ausência de uma escola secundária que sirva a juventude da Quinta do Conde, “um absurdo para o qual não encontram explicação, dado tratar-se de uma grande necessidade, devido à elevada população juvenil que aqui reside.”