Falecimento de Augusto Pólvora e tragédia de Pedrogão marcaram última Assembleia do atual mandato

Falecimento de Augusto Pólvora e tragédia de Pedrogão marcaram última Assembleia do atual mandato

Dois votos de pesar pelo recente falecimento de Augusto Pólvora presidente da Câmara Municipal de Sesimbra nos últimos doze anos e pelas vítimas do incêndio de Pedrógão Grande, subscritos por todas as bancadas com assento na Assembleia de Freguesia da Quinta do Conde e aprovados por unanimidade, marcaram a última sessão do atual mandato deste órgão autárquico.

Com uma ordem de trabalhos na qual constavam apenas a apreciação da actividade do executivo entre junho e agosto e a ratificação do acordo estabelecido entre a Junta de Freguesia e o Sindicato do Trabalhadores da Administração Local, tendente à introdução de duas alterações ao contrato colectivo de trabalho, visando a reposição de alguns direitos que lhes haviam sido retirados no denominado período da troika, a referida sessão caraterizou-se pelo “adeus às armas” em matéria de disputa política no quadro do citado órgão local e pela despedida de alguns dos seus membros.

Realizada a 8 de setembro e sem grandes temas em agenda, assumiu, por isso, particular destaque a apreciação do relatório da actividade desenvolvida nos três meses recentes pela equipa que dirige os destinos da autarquia e, em especial, a aprovação do aludido acordo celebrado com a estrutura sindical dos trabalhadores, documento que viria a obter votação unânime das forças politicas representadas na mencionada assembleia.

No período aberto à intervenção da população, o único munícipe que se inscreveu para usar da palavra, alertou para o sumido estado em que se encontram algumas passadeiras de peões na localidade e para a necessidade de uma repintura, em ordem a que se tornem visíveis, assim como para algumas placas toponímicas que se encontram danificadas.

Ao longo dos trabalhos, Vítor Antunes, presidente da Junta de Freguesia, respondeu às questões suscitadas pelas diferentes bancadas, quer acerca do relatório de actividades, quer quanto à natureza das alterações ora introduzidas ao aludido acordo colectivo de trabalho e aos objetivos que as mesmas perseguem.

No decurso das suas intervenções, o autarca manifestou ainda público reconhecimento à professora Clara Rosa, diretora cessante do Agrupamento de Escolas da Quinta do Conde, pelo trabalho desenvolvido em prol da população juvenil da localidade e pela colaboração prestada à autarquia nos anos em que desempenhou as funções de que estava investida.

Além disso, Vítor Antunes, considerou igualmente o trabalho efectuado por todos os membros que integraram os dois órgão da freguesia neste período de tempo, como um bom exemplo de valorização do funcionamento do Poder Local e o exercício da democracia, ante o contributo que todos demos para dignificar a Quinta do Conde, as suas gentes e quem em nós confiou, sustentando, por isso, que “volvidos estes quatro anos sobre a data da nossa investidura, podemos concluir que estamos todos de parabéns.”