Duas novas peças escultóricas enriquecem estatuária da Quinta do Conde

Duas novas peças escultóricas enriquecem estatuária da Quinta do Conde

A colocação de duas novas peças escultóricas na estatuária local, assinalam a passagem dos 32 anos da criação da Freguesia da Quinta do Conde, enriquecendo o acervo de arte pública da localidade e contribuindo para o aparecimento de novas referências por parte dos habitantes.

Localizadas num caso, no recém inaugurado Negreiros Fitness Parque e, no outro, na berma da Avenida da Liberdade, Pinhal do General, as referidas obras, da autoria de Carlos Bajouca e Hugo Maciel, respectivamente, constituem uma homenagem aos homens e mulheres que ao longo das últimas quatro décadas passaram pelo Poder Local, e ao desenvolvimento operado na no tecido social da localidade e à qualidade de vida que tal processo conferiu a quem nela reside.

No acto inaugural das referidas peças que ora embelezam os locais onde se encontram, Vítor Antunes, presidente da Junta de Freguesia, salientou a decisão da autarquia de prosseguir o caminho de dotar a localidade de elementos que se assumam como referências da população, pelo que “a passagem dos 40 anos do Poder Local Democrático não poderia deixar de ser assinalada nesse plano, em resultado de se tratar de um marco na vida colectiva do país e dos quintacondenses”.

De acordo ainda com o autarca, “o resultado do último acto eleitoral, reiterou a decisão da população de nos mandatar a prosseguir na senda da afirmação da identidade local e da elevação da qualidade de vida de quem aqui reside ou trabalha, colocando a Quinta do Conde no mapa da região e do país.”

No mesmo sentido se expressou Odete Graça, presidente da Assembleia Municipal de Sesimbra, salientando a relevância dessa orientação, “pois, tratando-se da mais jovem freguesia do concelho, não possui, como é natural, a carga histórica que as demais carregam. Logo, a sua matriz histórica e cultural foi-se alicerçando na identidade das várias comunidades que ao longo dos últimos 40 anos aqui se radicaram”.

Neste contexto, referiu igualmente a líder da AMS, “é necessário continuar que a equipa ora indigitada pela população para gerir os destinos da freguesia, dê continuidade a esse trabalho, o qual inclui também a reivindicação de conferir aos jovens o direito de terem uma escola secundária, a par de um centro de saúde que responda às necessidades da população e um lar que acolha os idosos com a dignidade que lhes é devida”.

Para José Polido, vice-presidente em exercício da Câmara Municipal de Sesimbra, “a circunstância da Quinta do Conde ser um lugar dotado de uma população atenta e com sentido crítico, tem ajudado ao trabalho dos autarcas”, manifestando, por isso, o seu agradecimento a todos quantos têm contribuído para que os habitantes da localidade tenham uma vida melhor,” sendo que a estatuária é uma das vias que concorre para a afirmação dessa identidade própria e apropriável, porque propriedade colectiva dos cidadãos.

Dando nota da intenção que presidiu à elaboração das aludidas peças, Carlos Bajouca revelou que a obra por si produzida “é um trabalho simples expresso numa gota tendente a simbolizar o suor e as lágrimas que os autarcas libertam ao longo do seu trabalho quotidiano visando tornar a vida das populações menos difícil e mais bela.”

Por seu turno, Hugo Maciel realçou que a circunstância de ter trabalhado uma antiga mó de um lagar de azeite o induziu a procurar sublinhar as transformações que se operam na vida das pessoas e dos objectos, razão pela qual atribui ao citado trabalho o título de “passagem de vida”, pretendendo com isso, remeter para as transformações operadas na Freguesia ao longo deste período de tempo.