Pedro Almeida, empresário do ramo de barbearia

Pedro Almeida, empresário do ramo de barbearia

Vinte e cinco anos a apostar na Quinta do Conde justificam o reconhecimento da autarquia.

Radicado na Quinta do Conde desde 1992, ano em que se estabeleceu por conta própria, Pedro Almeida, é um dos vários empresários que decidiu apostar o seu futuro no futuro da localidade, abrindo um estabelecimento do ramo da barbearia.

Tornando-se ao longo destes 25 anos de atividade, um dos mais conhecidos e bem sucedidos profissionais da sua área, sediados na freguesia, afirma-se convicto de que se tratou de uma aposta ganha ante o desenvolvimento que a localidade tem registado ao longo do tempo.

Empregando atualmente quatro profissionais, com a perspetiva de a breve trecho proceder à criação de mais um posto de trabalho, o proprietário do Salão Pedro, manifesta-se confiante na evolução da situação económica e social da localidade, quer pela qualidade de vida que oferece a quem aqui reside, quer pelos índices de progresso que tem alcançado.

Com efeito, “a decisão de abrir um estabelecimento na Quinta do Conde, num tempo em que esta possuía vida própria, o número de habitantes era incomparavelmente inferior ao que hoje possui, as ruas eram de terra batida e não havia saneamento básico e outras de infraestruturas, constituiu um tremendo risco, sobretudo para quem se iniciava na profissão”, reconhece.

A par desse cenário, viu-se ainda confrontando com várias outras vicissitudes, entre elas, a recusa do aluguer de várias lojas, protagonizada pelos seus proprietários, os quais temiam a falta de pagamento dos referidos espaços, em resultado de se tratar de um jovem, adianta.

Foram tempos difíceis, diz, posto que a renda da casa onde inicialmente se estabeleceu era de 40 contos, sendo que no primeiro mês de atividade apenas faturou 47. “Nesse mês não ganhei para a bucha. Mas continuei e hoje tenho umas dignas instalações, uma boa clientela e, mais do que isso: ao longo dos anos, muitos barbeiros aprenderam a profissão nesta casa”, refere.

Entendendo o exercício da sua atividade como um serviço prestado à comunidade, Pedro Almeida, adianta igualmente que, por essa razão, aqueles que exercem funções de cariz social, nomeadamente bombeiros, forças de segurança ou outras profissões que visam o bem comum, gozam de um preçário especial, assim como as crianças.

“É nesse quadro que se insere o patrocínio conferido à equipa de juvenis da Associação de Desenvolvimento da Quinta do Conde. Pois, pretendo, continuar a apostar nesta terra nos próximos 25 anos,” salienta.