Alunos da Escola Rodrigues Soromenho vestiram a pele de autarca na Freguesia da Quinta do Conde

Alunos da Escola Rodrigues Soromenho vestiram a pele de autarca na Freguesia da Quinta do Conde

Rita Pinto, Bárbara Silva e Miguel Manso, alunos do 8º e 9º ano da Escola Navegador Rodrigues Soromenho, Sesimbra, vestiram por um dia a pele de autarcas da Freguesia da Quinta do Conde.

A iniciativa integrada na denominada Assembleia Municipal de Jovens, projecto desenvolvido pela Assembleia Municipal de Sesimbra com o intuito de proporcionar aos jovens que frequentam os estabelecimentos de ensino do concelho, um melhor conhecimento do funcionamento e actividade das autarquias sesimbrenses, permitiu aos três alunos verificar no terreno, a realidade do quotidiano de um autarca de freguesia.

Nesse sentido, a deslocação dos referidos jovens, contemplou o acompanhamento dos afazeres diários do presidente da autarquia; deslocações a diversos locais onde a sua intervenção se fez sentir visando a elevação da qualidade de vida da população; alguns dos principais projectos em curso na localidade e o contacto com os serviços administrativos da Junta, em ordem a saber que tipo de trabalho presta à comunidade, a par de um sem número de informações que obtiveram ao longo desse dia.

Para Rita Pinto, a estada na Quinta do Conde, “permitiu-nos um conhecimento mais profundo da localidade, devido à circunstância de termos percorrido zonas menos visitadas e que não conhecíamos, a par de ficarmos a saber de diversos projectos em execução, outros cujo início ocorreu recentemente e outros que terão lugar proximamente”.

“De igual modo, pudemos tomar conhecimento da existência do elevado número de equipamentos para a infância, nomeadamente, infantários, o que contrasta com a reduzida oferta que, neste domínio, a Vila de Sesimbra, dispõe.”

Outro dos assuntos que concitou a nossa atenção e nos surpreendeu, diz, Bárbara Silva, “prende-se com a profusão de peças escultóricas na via pública, o que para além de constituir uma forma de atrair visitantes, embeleza a localidade e cria referências em matéria de localização a quem aqui se desloca, assim como as razões que motivaram a sua colocação no espaço público. Trata-se de uma área onde, de resto, também se verifica uma notória diferença comparativamente à sede do concelho.”

Na opinião de Miguel Manso, “a vinda à Quinta do Conde, no âmbito da Assembleia Municipal de Jovens, constituiu uma experiência muito positiva, posto que nos deu a possibilidade de obtermos uma perspectiva de como funciona uma Junta de Freguesia e das tarefas de quem a dirige.”

Aliás, sublinha o jovem estudante, “outro dos aspectos que nos despertou curiosidade, radica na acessibilidade das pessoas ao presidente, no modo como o tratam e ele as trata. Uma relação de proximidade que dissipa qualquer ideia de que o presidente de uma junta de freguesia, é alguém a quem se chega com dificuldade. Pelo que vimos, aqui isso não se verifica. Até na rua as pessoas se lhe dirigiam.”