Desfile trapalhão mobilizou a atenção de milhares de quintacondenses

Desfile trapalhão mobilizou a atenção de milhares de quintacondenses

Uma moldura humana, constituída por vários milhares de pessoas, assistiu ao desfile trapalhão realizado na tarde de sábado, 10 de fevereiro, na avenida principal da Quinta do conde.

A mais expressiva adesão popular de quantos eventos carnavalescos ao longo dos anos tiveram lugar na localidade, motivada pelas excelentes condições climatéricas que se fizeram sentir e pelo crescente interesse com que a população encara a iniciativa, constituiu uma manifestação da vitalidade dos agentes associativos e da identidade local.

Iniciado, como em anteriores edições, pelo Grupo Motard da localidade, o qual com o colorido das máquinas e o som que que as carateriza, abriu caminho à exibição da fantasia das escolas de samba sediadas na freguesia, aos carros alegóricos que as acompanham e ao imaginário que as envolve.

Foi aliás, alicerçado no quadro da descoberta do sonho e da imaginação, que a representação da Escola de Samba Batuque do Conde, concebeu o tema para esta edição dos desfiles em que igualmente tomará parte na Vila de Sesimbra, e ao qual atribuiu a denominação de “Fantástico Despertar da Magia”, servindo-se para tal de um vasto leque de figuras criadas por filmes como o Senhor doa Anéis, Harry Poter, ou Liga da Justiça, entre outros.

Visão semelhante orientou a escolha da sua congénere Corvo de Prata que trouxe à rua “O Voo da Liberdade”, enquanto metáfora tendente a instigar à liberdade dos povos e animais, mas, também, como grito de alerta contra os preconceitos que ainda se fazem sentir em determinados sectores da sociedade actual.

Além disso, saliente-se, o aludido cortejo também se faz das fantasias ou disfarces,- mais ou menos trapalhões-, que cada cidadão decide adoptar para a ocasião, razão pela qual fácil se tornou encontrarmos ao longo do trajecto, bruxas, palhaços, fantasmas, matrafonas e um sem número de outras personagens que continuam a povoar o imaginário quotidiano de algumas pessoas.