Delegação cultural da Quinta do Conde ‘inundou’ de sons e Cante a Casa do Alentejo

Delegação cultural da Quinta do Conde ‘inundou’ de sons e Cante a Casa do Alentejo

A toada inconfundível do Cante Alentejano, a que se associaram a música ligeira, a vivacidade do folclore e a expressividade da música popular e tradicional portuguesa, constituíram os elementos essenciais de uma tarde cultural da Quinta do Conde na Casa do Alentejo, Lisboa.

Tomando literalmente um dos salões da instituição que representa o Alentejo na capital do país, a iniciativa, ocorrida a 17 de Março, evidenciou a pluralidade de expressões que caracterizam principais traços identitários da freguesia e a alegria dos seus habitantes, fazendo esquecer, por algumas horas, a chuvosa tarde que se fizera sentir na baixa pombalina.

A aludida manifestação cultural, resultante de um acordo de cooperação entre a Junta de Freguesia e a referida agremiação de cariz regionalista, visou a divulgação da Quinta do Conde junto de quantos a frequentam, conferindo-lhes a possibilidade de conhecer o trabalho de alguns dos principais agentes culturais quintacondenses, ao mesmo tempo que proporcionou a muitos quintacondenses conhecerem pela primeira vez a citada instituição e a beleza arquitectónica das suas instalações.

Tratou-se de uma tarde em que os sons e os cantares idos da Quinta do Conde ecoaram nos salões daquele belo edifício da rua das Portas de Santo Antão, numa organização da autarquia quintacondense, Centro Cultural, Social e Recreativo A Voz do Alentejo e Casa do Alentejo, apoiada logisticamente pela Câmara Municipal de Sesimbra.

No decurso do evento, Vítor Antunes, presidente da Junta de Freguesia da Quinta do Conde, salientou os objectivos que estiveram na génese desta colaboração, sublinhando que “a par de constituir o embrião de uma futura mostra das potencialidades da localidade no domínio da cultura e em outras áreas, a mesma assume ainda um carácter de homenagem póstuma a João Favinha, antigo dirigente associativo, autarca e grande impulsionador do cante e deste acontecimento.”

António Domingos, presidente da Voz do Alentejo, colectividade que no quadro da freguesia procura dar expressão às tradições transtaganas, congratulou-se com a realização daquilo que considerou ser “uma tarde de festa da Quinta do Conde e do Alentejo em Lisboa” e João Proença, presidente da aludida entidade, expressou o seu contentamento por “protagonizarmos mais um momento em que estamos a falar do Alentejo, estando com ele e os seus valores.”

Para o dirigente anfitrião, “a realização desta tarde cultural assume um grande significado, posto que a Quinta do Conde, localidade onde reside uma grande comunidade alentejana, tem mais habitantes que a maioria das cidades do Alentejo. Logo, é para nós muito gratificante dar pública expressão aos seus agentes culturais. Pelo que endereçamos um forte abraço desta casa, a todos quantos ali vivem, cá estando para vos receber, outra vez, no próximo ano.

A mencionada tarde, contou ainda com a colaboração da Rádio Quinta do Conde, a qual efectuou a sua integral transmissão.