Dia Internacional da Mulher

Dia Internacional da Mulher

No dia 8 de Março comemora-se mais um DIA INTERNACIONAL DA MULHER.

Grande é o significado histórico desta data pelo importante contributo que, desde há mais de 160 anos, tem proporcionado às diversas lutas desencadeadas pelas mulheres, na extinção da opressão e da exploração do homem pelo homem, no mundo inteiro.

A primeira grade luta heroica travada pelas mulheres ocorreu na América, no ano de 1857. Mulheres novayorquinas – trabalhadoras têxteis, manifestaram-se no dia 8 de Março exigindo a redução do horário de trabalho de 16 para 10 horas diárias.

A vitória dessa reivindicação, foi o primeiro passo dado na redução do horário de trabalho, seguindo-se outras lutas, das quais resultaram a aprovação de leis, em 31 estados da América, sobre as 8 horas de trabalho diário, no ano de 1909.

A luta das mulheres novayorquinas pela libertação da escravidão capitalista prosseguiu reivindicando não só melhores condições de vida como também o direito ao voto. Esse direito, constituiu uma das vitórias de maior importância jamais alcançada, na medida em que à mulher é reconhecido pelo estado a sua participação na vida política e social.

Em 8 de Março de 1910, no Congresso Internacional das Mulheres Socialistas, realizado em Copenhague, Clara Zetkin propõe que a data se torne o Dia Internacional da Mulher. A sua proposta é aprovada no ano seguinte (1911), no Congresso da II Internacional Socialista e assim se instituiu mundialmente esta data histórica. Nesse ano, mais de um milhão de mulheres de todo o mundo, manifestaram-se nas ruas, numa atitude de solidariedade internacionalista e na defesa de objetivos comuns.

O papel de solidariedade internacionalista das mulheres vai mais além. Em 8 de Março de 1917, as mulheres de Petrogrado, descem em massa à rua e reclamam pão e o fim da Primeira Guerra Mundial.

A intervenção das mulheres na luta contra o sistema capitalista e a opressão, não ficava por aqui. Em 8 de Março de 1937, as mulheres espanholas manifestaram-se contra o regime ditatorial franquista e em 8 de Março de 1943, foram as mulheres italianas a manifestar-se contra o fascismo que Mussolini impôs no país.

Em Portugal as mulheres organizam-se, apesar da ditadura que governa o país, e numa atitude de descontentamento, efetuaram, em 8 de Março de 1971, um piquenique como forma de protesto, aproveitando esta data comemorativa.

Foi, em 8 de Março de 1975, que pela primeira vez no nosso país, as mulheres puderam comemorar livremente este Dia Internacional.

A Revolução de Abril de 1974 contribuiu grandemente para a participação das mulheres portuguesas na luta por melhores condições de vida do nosso povo, participação essa que tem sido visível  a diversos níveis, nomeadamente na Assembleia da República, nas autarquias, nos sindicatos, nas empresas, nas associações, entre outras.

Em 2018 o MDM – Movimento Democrático de Mulheres, celebra 50 anos de existência e, entre outras iniciativas, convocou uma manifestação nacional de mulheres para Lisboa dia 10 de Março, às 14h30, subordinada ao mote “IGUALDADE E JUSTIÇA SOCIAL – NO PRESENTE, COM FUTURO!”

Por isso, na passagem desta data histórica, a Junta de Freguesia da Quinta do Conde   saúda todas as mulheres portuguesas, em particular as da Freguesia, pela sua contribuição na luta pelos seus direitos assim como na defesa e consolidação do regime democrático, bem como na obtenção de melhores condições de vida para o nosso povo.

–  VIVA O DIA INTERNACIONAL DA MULHER!