Aniversário serviu para reconhecer mérito de instituições e personalidades

Aniversário serviu para reconhecer mérito de instituições e personalidades

Celebração colectiva, reunindo autarcas, movimento associativo, agentes económicos e agentes sociais e culturais da localidade, o 33º aniversário da criação da Freguesia da Quinta do Conde, constituiu um momento de reconhecimento público pelo trabalho desenvolvido visando a sua elevação.

Esequiel Lino, presidente do Município de Sesimbra ao logo de 23 anos, foi uma das personalidades agraciadas, como expressão de gratidão pelo seu empenho e decisiva acção na busca de uma solução para a reconversão, urbanização e evolução desta zona do Concelho.

Realizado a 9 de Outubro nas instalações do Centro Social e Cultural a Voz do Alentejo, este acontecimento festivo, que se assume como um encontro anual das forças vivas da freguesia, sublinhou valores, princípios e ideais que caracterizam a comunidade quintacondense, expressos nas saudações e distinções a vários clubes, associações, empresários e desportistas locais, em sinal de reconhecimento pelo seu desempenho.

De acordo com Vítor Antunes, Presidente da autarquia aniversariante, esta é “a ocasião para realçarmos a simbiose em que alicerçamos a nossa confiança num futuro cada vez melhor para a nossa terra e para as nossas gentes”.

Enunciando um amplo conjunto de iniciativas protagonizadas pela Junta nos diferentes domínios em que esta expressa a sua actividade, o autarca salientou a construção (de parceria com a Câmara Municipal de Sesimbra) de um estádio multiusos de areia e de um parque canino e a aquisição de uma nova viatura de apoio à actividade operacional da autarquia, a par da aquisição de equipamento de protecção para os funcionários que laboram nessa área, assim como um vasto leque de acções, entre elas, a dinamização da Comissão de Utentes da Saúde.

Por tudo isto, sustentou Vítor Antunes, “Dissemos não ao embuste de descentralização de competências, por se tratar de uma nebulosa transferência de encargos, que não assenta num processo ponderado, como defendemos, no quadro da regionalização prevista pela Constituição da República, sem colocar em causa a universalidade da prestação de cuidados sociais, de saúde e educativos”.

De igual modo, referiu o Presidente da Junta de Freguesia,” afirmamos a nossa decepção face às alterações introduzidas à leia das finanças locais, que remetem para as “calendas gregas” a solução para a reiterada injustiça de que a Freguesia tem sido vitima em matéria de financiamento”.

Presente na cerimónia, Odete graça, Presidente da Assembleia Municipal de Sesimbra, felicitou a freguesia, os agraciados e neles a população, referindo que o seu contributo constitui o pulsar da localidade, enaltece o trabalho de todos e valorizando o Poder Local.

Para Francisco Jesus, Presidente da Câmara Municipal de Sesimbra, celebrar 33 anos de existência da freguesia é, simultaneamente, o tempo de realçar o trabalho de quantos se empenharam na evolução desta terra, tornando-a no território que ao longo das últimas décadas maior crescimento populacional registou a nível nacional.

Por esse motivo, salientou o edil, “tem sido a mais prejudicada em termos financeiros, uma injustiça que afecta este território, mas que a sua forte coesão tem permitido minorar, a qual, no entanto, se reflecte na falta de alguns equipamentos desportivos, culturais e escolares.”

Para esbater esse cenário, o dirigente camarário, adiantou a construção de nova uma escola na localidade, um auditório com capacidade para algumas centenas de lugares e a construção, de parceria com a Junta de Freguesia, de um pavilhão multiusos, que possibilita ultrapassar os actuais constrangimentos em matéria de a realização de espectáculos, exposições e actividades económicas e cujas obras se devem iniciar no próximo ano”.

Anunciando, igualmente, a construção de um pólo da Biblioteca Municipal que satisfaça as necessidades da população quintacondense, Francisco Jesus, enunciou ainda um conjunto de projectos para a Freguesia, tendentes a sublinhar a sua importância no contexto da região e do Concelho, realçando entre outros, “a concretização de um corredor ecológico, uma ligação pedonal ao longo da Estrada Nacional 10 e a ampliação das antigas instalações do centro de saúde local, que não sendo a solução ideal, é a opção que de momento possibilita minorar as dificuldades da população no acesso aos cuidados de saúde”, assim como no domínio dos transportes decorrente da criação, no quadro da Autoridade Metropolitana de Transportes, de uma empresa intermunicipal.

As festividades, abertas com a representação da peça “ Contaram-me numa esquina”, concebida pelo Grupo de Teatro Sui Generis a partir de excertos de vários autos de Gil Vicente, encerraram com a actuação do Grupo Coral Alentejano, afecto à colectividade que acolheu a cerimónia.