Taça de Portugal de Ciclocrosse na Quinta do Conde

Taça de Portugal de Ciclocrosse na Quinta do Conde

A Quinta do Conde recebeu a 6 de Janeiro, pela primeira vez na história da modalidade, uma prova da Taça de Portugal de ciclocrosse, reunindo cerca de uma centena de atletas oriundos de vários pontos do país.

Organizada pela Federação Portuguesa de Ciclismo e pela Associação de Ciclismo de Setúbal, de parceria com a Junta de Freguesia e a colaboração da Câmara Municipal de Sesimbra, a competição realizada nos terrenos situados a sul da Associação para o Desenvolvimento da Quinta do Conde, constituiu mais uma iniciativa tendente a promover a prática desportiva e, em particular, o ciclismo.

Com uma extensão ligeiramente superior a dois quilómetros, o circuito dotado de um conjunto de exigências técnicas que reclamou dos atletas destreza e capacidade física, revelou-se agradável para a maioria dos participantes, razão pela qual expressaram a sua vontade de repetir a experiência em futuras em edições.

Sublinhe-se, a esse propósito, que parte significativa dos intervenientes na aludida prova integrada no calendário das competições promovidas pela referida federação, se deslocou de localidades situadas a norte do país, como são os casos de Vouzela, Matosinhos, Vila do Conde, Maia ou Seia, a par de atletas provenientes de Loulé, S. Brás de Alportel ou Alcobaça, entre outras.

Para Vítor Antunes, presidente da Junta de Freguesia “esta primeira edição da prova no território da Freguesia permitiu-nos levar a outras zonas de Portugal o nome da Quinta do Conde. Além disso, em resultado da observação que fizemos, desta primeira experiência, afigura-se-nos possível a introdução de algumas alterações em próximas edições, de modo a conferir ao circuito pequenas melhorias susceptíveis de o valorizar”.

Na opinião de Eduardo Guilherme, presidente da Associação de Ciclismo de Setúbal, “a concretização deste evento na Quinta do Conde, reflecte a vontade que a Junta de Freguesia evidencia em matéria de promoção da prática desportiva, neste caso, através do ciclismo, reforçando, assim, a estreita colaboração que tem emprestado, por nosso intermédio, à promoção da modalidade”.

Idêntico sentimento expressou João Serralheiro, diretor técnico da aludida prova ao considerar que a mesma havia corrido bem, “correspondendo, por isso, às nossas expectativas inicias, as quais ficam agora reforçadas com a intenção da autarquia de proceder à introdução de algumas pequenas alterações de ordem técnica, facto que nos faz acreditar estarem reunidas as condições para a sua manutenção nos próximos anos.”

Venceram os escalões de elite: Márcio Barbosa (Aviludo-Louletano) e Raquel Queirós (Quinta das Arcas / Jetclass / Xarão).