Livro “Horticultura de Palmo e Meio” uma espécie de manual para aliciar os mais novos

Livro “Horticultura de Palmo e Meio” uma espécie de manual para aliciar os mais novos

Obra tendente a estimular a criação de hortas escolares e o aparecimento de práticas ambientalmente sustentáveis, “Horticultura de palmo e meio”, constitui o repositório do trabalho desenvolvido pelo projecto hortas integradas, realizado no espaço da denominada Várzea da Quinta do Conde.

O referido volume, estruturado numa perspectiva didáctica com o intuito de estimular os mais novos para as questões ambientais, retrata a evolução do aludido projecto promovido pela Anime, agremiação da Freguesia que exerce a sua actividade nos domínios da animação de projectos de animação e formação, com especial incidência na vertente ambiental.

Apresentado na sede da autarquia quintacondense a 22 de Maio, o citado volume editado pela mencionada associação com os patrocínios da Junta de Freguesia, Câmara Municipal de Sesimbra e a colaboração de várias outras entidades locais e concelhias, procura ainda facultar ferramentas de trabalho a professores que desenvolvem a sua intervenção no plano da salvaguarda da diversidade e da preservação do ambiente.

Segundo Vítor Antunes, presidente da Junta de Freguesia da Quinta do Conde, a adesão da entidade representativa da comunidade local, constituiu uma forma de expressar a sua satisfação pelos resultados obtidos e de reiterar a disposição de o continuar a apoiar, posto ter sido com muita satisfação que se envolveu nesta iniciativa.

De acordo com o autarca, “o livro ora apresentado, constitui uma espécie de manual em ordem a que seja utilizado em iniciativas semelhantes em escolas e outras instituições do concelho e da região, ante a circunstância de se tratar de um compêndio que inclui um conjunto de procedimentos que concorrem para valorizar os aspectos relacionados com a sustentabilidade, valorizando concomitantemente as futuras gerações.”

Concebida por uma equipa constituída pelos engenheiros agrónomos David Cordeiro e Ana Castro, pela animadora sociocultural Patrícia Reis e pelo designer gráfico Fernando Pinto, o citado livro, assume assim o carácter de uma interessante ferramenta de trabalho para quem exerce a docência ou mantém alguma ligação ao sector educativo.

Para Paulo Pires, coordenador do projecto das hortas solidárias e do Centro de Interpretação Ambiental da Várzea “a publicação deste trabalho não é apenas um ponto de chegada, mas sobretudo, um ponto de partida, ante a circunstância de conjugar um conjunto de vontades e saberes a transmitir aos mais novos, congregando para isso vontades várias.”