Tertúlia na Floresta

Tertúlia na Floresta

É inaugurada no próximo dia 18 de maio, às 15h00, na Junta de Freguesia da Quinta do Conde a exposição de pintura “Tertúlia na Floresta” de Silvia Zang. Trata-se de uma original mostra individual, de 26 obras, que poderá ser observada no Salão João Favinha, nos dias úteis das 09h00 às 17h00, até 16 de junho.

A coleção de quadros que Silvia Zang escolheu para mostrar na Quinta do Conde traduz uma exposição intimista, que de imediato nos reporta para o Oriente, dado que alguns dos trabalhos são evocativos de reputadas obras chinesas.

Aliando uma singular capacidade de enriquecer composições típicas com cores e técnicas, as obras de Silvia Zang vertem uma sequência lógica e atrativa para o espetador.

Evidente nas obras desta artista, que privilegia as formas abstratas, um notável deslumbramento pela paisagem e pela natureza.

Esta mostra de vinte e seis obras insere-se no objetivo geral da Junta de Freguesia de proporcionar mais oportunidades e maiores facilidades aos quintacondenses  para aceder a momentos culturais. Contemplar, ponderar e interpretar constituem desafios acrescidos aos visitantes, independentemente do conhecimento, mais ou menos profundo, de cada um sobre a matéria.

 

Silvia Zang

Reside em Portugal há cerca de trinta anos, Silvia Zang nasceu em Posadas, na Argentina, em 1955. Partilha a vocação pelas artes plásticas com o forte vínculo às expressões folclóricas latino-americanas, em especial a música, tendo participado como cantora em vários projetos, que a levaram a viajar pelo interior da Argentina, Bolívia e Perú. Em Portugal, o seu interesse pelas Artes Orientais sugeriu-lhe estudar várias disciplinas como Tai Chi Chuan, Chi Kung, Tui Na e Medicina Tradicional Chinesa, assim como o idioma chinês no Instituto Confúcio, e caligrafia na Fundação Museu do Oriente. Há mais de duas décadas que Silvia Zang realiza exposições individuais e participa em exposições coletivas, tendo sido distinguida com diversos prémios.