José Arsénio apresentou na Quinta do Conde livro sobre as três freguesias do Concelho

“Sesimbra –Três Freguesias um Concelho” é a mais recente publicação de José Arsénio”, volume no qual reúne um conjunto de fotografias, a preto e branco e cores, captando a dimensão patrimonial, ambiental e humana do território concelhio.

A obra editada com o objectivo de contribuir para a divulgação do património material e imaterial do território nas suas diferentes vertentes, inclui textos de António Madeira salientando o olhar do fotógrafo, o ângulo e o modo como registou as características do concelho e das suas gentes, as actividades tradicionais, em especial a pesca e as especificidades de cada uma das freguesias que o constituem.

Apresentado no Salão João Favinha, sala nobre da Junta de Freguesia da Quinta do Conde ao final da tarde de 27 de Junho, o aludido volume, na opinião de Vítor Antunes, presidente da autarquia “é uma obra pioneira nesta matéria, posto constituir a primeira publicação do género a contemplar as três freguesias,  e por consequência a incluir a  Quinta do Conde, com as suas características, sociais, ambientais e humanas.”

De acordo igualmente com o autarca quintacondense, “revela-se uma pedrada no charco, que por se reportar a todo o território do município, tirando partido das suas potencialidades, quer por se assumir como o primeiro passo no esbater da distância psicológica que continua a impedir muitos de se aproximarem desta terra, não obstante o património social e humano que possuímos” .

Neste contexto, referiu ainda Vítor Antunes, “para além do valor artístico das imagens que reúne, a edição desta obra assume-se como algo inovador, ante a circunstância de olhar para todo o concelho, valorizando o que cada lugar possui de mais genuíno e evidenciando as suas potencialidades, o que nos torna mais fortes, porque concorre para a união de todos quantos constituem este concelho.”

No decurso da sessão, Andreia Conceição técnica de museologia da edilidade sesimbrense, realçou alguns aspectos históricos evidenciados pelas imagens que integram o aludido volume e a relevância que os mesmos possuem no quadro de cada freguesia, sublinhando várias referências à Quinta do Conde e ao seu capital humano, enquanto, António Silva, professor e amante de fotografia dava conta de alguns episódios de que José Arsénio foi protagonista, exemplificativos do modo como exerce a arte fotográfica, nas suas diferentes vertentes, visando a captação da luz, da sombra, o espaço e o homem.

Na opinião de Odete Graça, Presidente da Assembleia Municipal de Sesimbra, “este livro é um importante contributo para a compreensão do concelho e a diversidade do seu território, quer do ponto de vista histórico, quer do ponto de vista material e humano e das especificidades e diversidades sociológicas e culturais que o caracterizam, elementos que a mestria do seu autor, regista para a posteridade com um olhar que nos surpreende”.

Encerando a referida sessão, José Arsénio, agradeceu as palavras dos oradores que se prenunciaram sobre este seu trabalho dando no entanto conta do difícil caminho para chegar a este momento, a par de diversas vicissitudes que não lhe permitiram a realização de projectos respeitantes a esta freguesia, por razões alheias à sua vontade e à da respectiva autarquia.

Para este “ativista militante” da arte de fotografar, “olhar as pessoas e os lugares, retirando deles a riqueza que possuem e fixando os seu hábitos, costumes, tradições, no fundo, a sua postura ante a vida, é a função primordial do fotógrafo.

Essa é, a meu ver”, acrescentou, “a tarefa que cabe a quem se dedica a esta forma de expressão artística, concorrendo assim para a preservação do património material, cultural e humano do território onde me movo, juntando o meu esforço ao esforço de outros.”