Junta reuniu com Fertagus

Junta reuniu com Fertagus

A Junta de Freguesia da Quinta do Conde reuniu com a Administração da Fertagus, para abordar os inquietações que regularmente os quintacondenses nos colocam: Frequência dos comboios em horários de maior procura; Carreiras, horários e percursos da SulFertagus na área da Quinta do Conde; Parques de estacionamento junto à estação de Coina.

No que concerne à frequência dos comboios, a Fertagus informou que nas horas de maior procura apenas um dos dezoito comboios fica em reserva de exploração (manutenção). Que após a experiência de redução de lugares sentados com ampliação da resposta total através do aumento de lugares de pé, em algumas carruagens de um comboio, a Fertagus vai implementar a medida nos restantes comboios. Também já ponderou junto da empresa fabricante dos comboios a viabilidade de acrescentar uma carruagem aos atuais comboios.

Quanto às carreiras da SulFertagus, informou que está suspensa a proposta, que em anteriores reuniões foi equacionada, da passagem pela zona norte da Quinta do Conde (Conde 1). Acrescentou que a revisão de carreiras e percursos depende da aprovação da Área Metropolitana de Lisboa (AML) entidade a quem vai ser apresentada em breve uma proposta, sendo que o principal problema que os utentes enfrentam decorre da densidade do trânsito nos percursos, designadamente naquele que medeia entre a estação e a EN10. Parte significativa das reclamações decorre de incumprimentos da empresa fornecedora do serviço, a TST, incumprimentos que ocasionalmente se estendem a várias estações.

Quanto ao estacionamento (1130 lugares) a Fertagus garante continuidade aos detentores de assinatura, que a devem renovar até ao dia marcado. Os lugares sobrantes são colocados à venda nos dias seguintes, mas são claramente insuficientes para as necessidades, sendo que dos esforços feitos resultou um ligeiro acréscimo da oferta (cerca de 100 lugares). Informou a Administração da Fertagus, que inclusivamente já indagou junto dos proprietários de terrenos confinantes a possibilidade de ampliar o Parque, tendo até já encarado a hipótese de colocar uma estrutura metálica de modo a proporcionar um segundo piso no recinto.

A construção de uma passagem aérea sobre a A2, que permitisse o acesso pedonal aos quintacondenses foi vista como uma boa solução para reduzir o recurso à viatura individual mas trata-se de uma obra da competência da I.P. – Infraestruturas de Portugal.

Tratou-se, em resumo, de uma reunião que praticamente não acrescentou resposta aos problemas mais pertinentes mas a Junta de Freguesia reafirma a sua intenção de acompanhar esta matéria, consciente da complementaridade que a solução destes problemas tem, para o máximo aproveitamento do investimento realizado com a redução dos passes.