Na Universidade sénior – O Sonho Não Tem Idade “falar de saúde faz bem à saúde e aos alunos”

Na Universidade sénior – O Sonho Não Tem Idade “falar de saúde faz bem à saúde e aos alunos”

Promover a literacia da saúde constitui o pilar fundamental da disciplina de saúde ministrada quinzenalmente na Universidade Sénior – O Sonho Não Tem Idade, por uma equipa de técnicos afectos à unidade de saúde local da Quinta do Conde, liderada pelo clínico Armando Brito Sá.

De acordo com o referido médico, o objectivo destas conversas com o público que frequenta esta instituição de ensino informal da Freguesia, visa, assim, facultar-lhes ferramentas que lhes possibilitem uma melhor observância de regras e cuidados, tendentes a salvaguardar a sua saúde, desmontando, desse modo, alguns conceitos erradamente utilizados e desmascarando falácias, muitas vezes, publicitadas nos órgãos de informação de maior projecção.

Tendo presente a faixa etária da população que frequenta este tipo de entidades criadas com o intuito de retirar de casas as pessoas, que deixaram a vida activa, ocupando saudavelmente o seu tempo, a ideia central destas “tertúlias” é, no fundo, proporcionar-lhes um conjunto de elementos que instrumentos para atitudes e decisões responsáveis quando confrontados com problemas de saúde.

Por essa razão, todos os assuntos ligados à medicina são objecto de análise e debatidos, em ordem a que sejam desmitificados alguns tabus criados ao longo dos tempos e, por essa via, sensibilizar a comunidade não apenas para comportamentos incorrectos, mas contribuir para que a comunidade saiba adoptar posturas preventivas em muitas situações.

Nesse quadro, adianta, Armando Brito e Sá, a maioria dos temas que constam da programação para este ano lectivo, foram sugeridos pelos próprios alunos, o que acaba por ser uma forma de captar o seu interesse e, por seu intermédio, ampliar junto da comunidade conceitos, regras e atitudes adequadas em caso de doença.

Para Leandro Leal, 74 anos, aluno da referida disciplina, o motivo principal pelo qual decidiu integrar a turma que aborda a temática da saúde, prende-se com o convívio com outras pessoas da sua faixa etária, aliando-o à aquisição de algo que lhe seja útil, como é o caso.

Opinião semelhante expressa Filipa Pessoa, 68, anos, a qual refere achar interessante saber o motivo pelo qual as coisas acontecem, possuindo, dessa forma, meios de actuação no dia-a-dia, quando de prevenção se trata, ou em situações de doença.

E tudo, porque falar de saúde também faz bem à saúde.