Francisca Rosa e o Dia Internacional da Mulher

No contexto atual, para além das tarefas domésticas já praticadas rotineiramente pelas MULHERES, são somadas a necessidade de maior atenção às crianças e adolescentes e a própria adaptação pessoal diante do cenário da pandemia. É preciso considerar que conciliar todas as funções já citadas, produzem impacto na saúde mental e física das MULHERES.

Considerando a expressão atribuída a um Provérbio Africano que afirma ser necessária “uma aldeia inteira para educar uma criança”, o que nos remete à responsabilização coletiva – e não apenas da MULHER – pelas tarefas do cuidar, faz-se importante refletirmos quais contribuições podem ser oferecidas por cada elemento do núcleo familiar.

É imperativo, a necessidade de desnaturalizar a capacidade de cuidar das MULHERES, uma vez que o cuidar é possibilidade de TODOS!

A capacidade de superação faz parte da identidade feminina. Contudo ser uma SUPERMULHER nem sempre é uma vantagem, particularmente em períodos tão duros como este que vivemos.

Não esqueçamos que a competência levou a MULHER a conquistar espaços, a ganhar respeito e a sonhar mais! Hoje a MULHER está presente em tudo, e essa presença multiplica-se em cada sonho alcançado.

Que este tempo de exceção seja o tal, em que a palavra MULHER seja pronunciada com frescura, alegria, vitalidade, coragem, justiça e determinação para que possa ocupar, sem reservas nem ocultações — com futuro! — o seu lugar pleno.

Ser mulher é ser mais forte do que os olhos podem ver. É ter no coração lugar para todos os sonhos do mundo.

FELIZ DIA DA MULHER!

(Mensagem de Francisca Rosa, tesoureira da Junta de Freguesia, empresária e dirigente associativa)