Junta saúda o Dia Internacional da Mulher

A criação do Dia Internacional da Mulher remonta ao final do século XIX e está inevitavelmente associada à intelectual alemã Clara Zetkin.

A afirmação do conteúdo que lhe deu origem permanece atual nos dias que correm, com ou sem epidemia.

Podemos recuar no tempo e ver em Portugal exemplos centenários como os de Ana Castro Osório, Carolina Beatriz Ângelo, Adelaide Cabete ou Maria Veleda, quatro nomes, de entre muitos, de uma época que fez história. Seguiram-se outros nomes, muitos outros, como Sophia de Mello Breyner Andresen, Maria Lamas ou Alda Nogueira.

Avançando no tempo, isto é no Portugal de Abril, observamos que Natália Correia, Maria de Lurdes Pintassilgo e Odete Santos, com os seus exemplos, também contribuíram muito para a emancipação das mulheres.

São alguns nomes, entre muitos, em Portugal e no mundo, que animaram a luta pela igualdade do género, ao longo de mais de um século.

No nosso território destacamos, por ordem cronológica, as sesimbrenses Olinda da Conceição, Almerinda Correia e Conceição Morais e personalizamos nelas a luta pela participação das mulheres, em condições de igualdade, em todas as vertentes da vida, designadamente social, laboral, cultural, política, económica e desportiva.

Sem violências nem constrangimentos de qualquer natureza.

Cumprir este desiderato é tarefa de todas e todos os democratas.

Viva o Dia Internacional da Mulher!

(Saudação aprovada por unanimidade, na reunião de Junta de 3 de Março de 2021)