Trabalhadoras da Junta refletem sobre o 8 de Março

Trabalhadoras da Junta refletem sobre o 8 de Março

Celebrar o Dia da mulher é a forma de reconhecer a sua importância e contributo na sociedade. As suas conquistas e luta contra o preconceito racial, sexual, político, cultural, linguístico ou económico.

Não obstante as suas conquistas, as mulheres continuam a ser vítimas de discriminação, violência física e psicológica, assédio, desvalorização profissional, entre tantas outras injustiças.

A celebração deste dia é importante, pois não nos deixa esquecer que apesar de tudo, existem muitas mulheres que não tiveram ou têm a nossa sorte, quer pelo local onde nasceram, quer pelas pessoas que as rodeiam.

Estamos certas que a nossa luta tem de ser diária, que se estenda a todos e que assente no respeito pelo próximo.

Homens e Mulheres são diferentes, felizmente!

Que beleza poderia ter uma tela pintada, toda da mesma cor?

Acreditamos que quando todos nós soubermos respeitar, não será mais necessário, reivindicar pela igualdade de géneros, raças ou etnias. A diferença será um bem maior, porque nos acrescenta e nos equilibra.

Ser Homem ou ser mulher não deveria ser o mais importante, mas antes a nossa essência, pois é isso que faz de nós seres únicos e especiais.

(Mensagem das trabalhadoras da Junta de Freguesia Otília Silva, Sandra Quintela, Rute Gonçalves, Manuela Reis, Paula Martins e Teresa Pólvora)