Junta reuniu com Agência Portuguesa do Ambiente

Maior atenção às ocasionais descargas de esgotos poluentes na Ribeira de Negreiros, sejam elas acidentais ou intencionais; A reparação dos acidentes ambientais resultantes da deposição de entulhos na várzea de Vale Florete; e a regularização, desobstrução e limpeza do leito e margens do Rio Coina, sobretudo no percurso que confina com a Quinta do Conde.

Sabemos que as medidas de conservação e reabilitação da rede hidrográfica, incluindo a limpeza e desobstrução dos álveos das linhas de água e a reabilitação de linhas de água degradadas, são da responsabilidade dos proprietários ou possuidores de parcelas nas margens confinantes com cursos de água, nas frentes particulares fora dos aglomerados urbanos. Mas o que sugerimos é uma robusta intervenção integrada, que envolva proprietários, autarquias e Agência Portuguesa do Ambiente, com recurso a fundos comunitários ou do Fundo Ambiental. Para que o corredor ecológico o seja efectivamente.