O papel da educação na criação da identidade local

Uma peça escultórica sublinhando o papel da educação enquanto trave-mestra do processo de transformação social, cultural e urbanístico da Freguesia, acaba de aumentar o acervo da estatuária pública da Quinta do Conde, contribuindo, desse modo, para a criação e valorização da identidade local.

Localizada no espaço adjacente ao novo Pólo da Escola Básica nº 2 da localidade e inaugurada a 8 de Julho, a referida obra, da autoria de Hugo Maciel, funda-se num discurso plástico que visa salientar a importância da educação no desenvolvimento do indivíduo e na valorização da comunidade através dos inter-relacionamentos que a educação proporciona.

Segundo o escultor, este trabalho “constituído por três elementos verticais, cuja simbologia remete para as três fases da vida do cidadão – infância, idade adulta e velhice -, mas simultaneamente para os três ciclos de ensino que caracterizam o nosso sistema educativo e cujo discurso central é representado por igual número de elementos, que constroem uma malha geométrica que confluem para um elemento esférico, o qual visa evocar o poder da comunidade e a relevância da conhecimento”.

Para Vítor Antunes, Presidente da Junta de Freguesia da Quinta do Conde, “nesta Freguesia é notória a verdadeira revolução e o desenvolvimento em todas as suas vertentes que o ensino e a educação registaram nas últimas décadas, factor que esta escultura pretende marcar no terreno.”

De acordo ainda com o autarca quintacondense, “com esta nova escultura a estatuária da Freguesia fica mais rica, pelo que a sua fruição pelos habitantes constitui um exemplo da impressão digital que caracteriza os últimos três mandatos, assentes na construção de uma identidade e nas suas principais referências.”

Na opinião de Felicia Costa, vereadora titular do pelouro da educação e cultura da Câmara Municipal de Sesimbra, “a colocação para fruição pública desta nova peça concebida por um escultor que nos habitou a salientar a identidade local e a revolução pacífica que a transformação do território conheceu, constitui uma prova do contributo dos diversos parceiros que nele têm intervindo.”